Antes de falar sobre a relação entre carnes vermelhas e processadas e câncer, é preciso entender o que são elas.

Também conhecida como carne muscular, a carne vermelha é qualquer carne que tem a cor vermelha escura antes de ser cozida.  Isso inclui carne de boi, cordeiro, porco, vitela, carneiro e cabra.

Além da carne vermelha também existem as carnes processadas, que passam por esse processo para melhorar o sabor e a preservação. Entre elas estão salsicha, calabresa, carne enlatada ou presunto.

Qual é a evidência de câncer?

Carnes processadas foram atribuídas ao Grupo 1 da OMS (Organização Mundial da Saúde), ou seja, carcinogênicas para humanos.

Segundo os padrões da OMS, isso significa que existem evidências suficientes de que as carnes processadas podem causar câncer. Eles chegaram a esta conclusão após avaliar estudos que mostram o desenvolvimento de câncer em humanos.

Os pesquisadores acreditam que as carnes processadas podem aumentar o risco de câncer colorretal ou de intestino.

Um estudo do World Cancer Research Fund (Instituto Americano de Pesquisa sobre o Câncer) descobriu que pessoas que consumiam carnes processadas tinham um risco 17% maior de desenvolver câncer colorretal.

E mais: segundo artigo publicado na revista científica Plos One, 4% de todas as mortes no mundo seriam causadas pelo consumo de carne vermelha ou processada.

Mas como as carnes processadas e a carne vermelha causam câncer?

Quando uma carne é processada, formam-se nela substâncias químicas nocivas e cancerígenas. Não importa se você optar por uma salsicha ou um presunto caro. É o processo, e não a qualidade, que aumenta o risco de câncer.

Com carne vermelha, a preocupação não é como a carne é processada (uma vez que normalmente não é), mas sim com relação às substâncias químicas naturais já presentes nas carnes, além de produtos químicos cancerígenos que surgem quando a carne é cozida.

Alguns pesquisadores acreditam que o cozimento em altas temperaturas pode criar compostos que contribuem para o risco carcinogênico da carne vermelha, mas ainda não há provas suficientes.

Também é importante observar que as carnes vermelhas não estão na mesma categoria das carnes processadas. Elas estão no Grupo 2A, o que significa que são “provavelmente” carcinogênicas.

Mas eu devo parar de comer carnes vermelhas e processadas?

O ideal é usar o bom senso. Evite carnes processadas pois elas contêm compostos químicos nocivos que podem aumentar o risco de doenças crônicas.

A Organização Mundial da Saúde classifica as carnes processadas como inequivocamente cancerígenas, ou seja, elas realmente podem causar câncer.

No caso das carnes vermelhas, você pode consumi-las com moderação, dando preferência para peças de alta qualidade, vindas de animais alimentados com capim. Ainda de acordo com a OMS, a carne vermelha é classificada como provavelmente cancerígena.

Lembrando que a carne vermelha é uma excelente fonte natural de proteína e ferro, além de conter ácido linoleico que é um coadjuvante no combate ao câncer.

Atenção também para o tamanho das porções. A American Heart Association recomenda de 28 a 85 gramas de proteína magra cozida por porção.

O ideal é completar seu prato com muitos vegetais e outros alimentos ricos em nutrientes e varie as fontes de proteína, incluindo peixes e aves. Assim sua alimentação fica muito mais saudável.