Já ouviu falar em ergonomia? É a ciência que estuda a interação entre o homem e a máquina ou a tecnologia com o objetivo que funcionem em harmonia. Nesse sentido, foca o ambiente de trabalho a fim de promover o bem-estar humano e o rendimento do sistema. A ergonomia, com seu campo de conhecimento multidisciplinar, atua nas empresas organizando o trabalho de forma que a atividade laboral esteja de acordo com as condições psicofisiológicas do colaborador, impactando diretamente na segurança do trabalho e saúde dos trabalhadores de vários setores.

Sua importância fica ainda mais clara quando observamos que uma boa parte das doenças relacionadas ao trabalho tem relação com atividades repetitivas, como é o caso da famosa Lesão por Esforço Repetitivo (LER), que chegou a ser apontada como uma doença epidêmica devido ao seu vasto alcance mundial.

Também chamada de D.O.R.T. (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho), a LER é uma síndrome constituída por um grupo de doenças – tendinite, tenossinovite, bursite, epicondilite, síndrome do túnel do carpo, dedo em gatilho, síndrome do desfiladeiro torácico, mialgias – que afeta músculos, nervos e tendões dos membros superiores principalmente, e sobrecarrega o sistema musculoesquelético. Esse distúrbio provoca dor e inflamação e pode alterar a capacidade funcional da região comprometida. A prevalência é maior no sexo feminino.

O diagnóstico é clínico e é fundamental buscar a causa dos sintomas para eleger o tratamento adequado.

Os sintomas mais comuns são dor nos ombros, cotovelos, punho ou nos dedos, dificuldade para movimentá-los, formigamento, fadiga muscular, alteração da temperatura e da sensibilidade e inflamação.

É importante destacar que, na maioria das vezes, esses sintomas estão relacionados com uma atividade inadequada. por exemplo, se a pessoa ficar sentada diante do computador por oito, dez horas seguidas.

Nas crises agudas de dor, o tratamento inclui o repouso das estruturas musculoesqueléticas comprometidas. Nas fases mais avançadas da síndrome, a fisioterapia é um recursos terapêutico que tem o conhecimento da ergonomia e por isso tem-se mostrado muito útil no tratamento e prevenção da L.E.R.

Recomendações:

  • Procure manter as costas eretas, apoiadas num encosto confortável e os ombros relaxados enquanto estiver trabalhando sentado. Cuide também para que os punhos não estejam dobrados. A cada hora, pelo menos, levante-se, ande um pouco e faça alongamentos;
  • Certifique-se de que a cadeira e/ou banco em que se senta para trabalhar sejam adequados ao tipo de atividade que você exerce;
  • Não imagine que L.E.R. é uma síndrome que acomete apenas as pessoas que trabalham em determinadas funções. Quem usa o computador, por exemplo, para o lazer durante horas a fio, também está sujeito a desenvolver o distúrbio.

Mais importante do que entender essas doenças é ficar atento aos sintomas e ao momento de procurar ajuda especializada para corrigir a causa para que a doença não se torne recorrente.

Aqui no CORP, a ergonomia é aplicada diariamente como mais uma ação da CIPA e da alta liderança. O objetivo é zelar pela qualidade de vida dos colaboradores, a fim de evitar o comprometimento de suas funções motoras, além de promover um ambiente de trabalho sadio e comprometido com o bem-estar dos pacientes.

KELVIN ANEQUINI SANTOS – CREFITO-3/ 231408-F

THIAGO LOPES BARBOSA DE MORAIS – CREFITO-3/ 50026-F