10 passos para uma Alimentação Saudável

A alimentação inadequada é a segunda causa de câncer que pode ser prevenido. Para cada 100 pessoas com câncer, 33 desses casos poderiam ser evitados com uma alimentação saudável (INCA).

Os 10 passos para uma alimentação adequada e saudável, elaborado pelo Ministério da Saúde (2014), são ferramentas importantes para te auxiliar nas melhoras escolhas alimentares.

Vejam:

  • Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação. Dê preferências a alimentos frescos e naturais, como grãos, raízes, tubérculos, farinhas, legumes, verduras, frutas, castanhas, leite, ovos e carnes.
  • Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em quantidades mínimas nos preparos dos alimentos.
  • Limitar o consumo de alimentos processados, esses devem ser consumidos em pequenas quantidades. Alimentos processados são fabricados pela indústria com a adição de sal, de açúcar ou de outra substância para torná-los duráveis, como conservas de legumes, compota de frutas, pães e queijos.
  • Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados. Produtos cuja fabricação envolve diversas etapas, técnicas de processamento e ingredientes, muitos deles de uso exclusivamente industrial. Entre os exemplos, refrigerantes, suco em pó, biscoitos recheados, “salgadinhos de pacote” e “macarrão instantâneo”. Evite o consumo!
  • Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia. Procure fazer suas refeições em horários semelhantes todos os dias e evite “beliscar” nos intervalos entre as refeições.
  • Fazer compras em locais que ofertem variedade de alimentos In Natura ou minimamente processados. Dê preferências a mercados e feiras livres e se possível, orgânicos.
  • Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias. Comece a cozinhar!
  • Planejar o uso do tempo para dar a alimentação o espaço que ela merece. Coma devagar e observe o que está comendo. Planeje seus horários.
  • Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora. Restaurantes de comida a quilo podem ser boas opções. Evite redes de fast-food.
  • Ser critico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais. Lembre-se de que a publicidade quer aumentar a venda de produtos, e não informar ou, menos ainda, educar as pessoas.

Natália Yano Kodama, Nutricionista – CRN3 26429