Ao receber o diagnóstico do câncer e durante todo o tratamento, é comum que o paciente e seus familiares passem por várias adaptações, entre elas, ter que parar de trabalhar por um período. Essa mudança pode influenciar em todos os aspectos da vida: financeiro, social, familiar, pessoal. Isso requer uma grande adaptação de todos os envolvidos.

No nosso dia-a-dia exercemos diversos papéis: de pai ou de mãe; marido ou esposa; provedor (a); funcionário (a) ou chefe; filho (a); amigo (a) entre outros. E, normalmente, diante de uma doença, todas essas funções e regras precisam ser revistas.
O que o paciente pode fazer para se reorganizar, ficando mais tranquilo para o tratamento?

  • Converse com seu cônjuge sobre as mudanças no casamento, vida sexual, dinheiro, filhos e outras decisões que precisam ser acertadas;
  • Converse com a sua família sobre as mudanças e novas funções;
  • Se alguém estiver sobrecarregado, peça ajuda a um amigo, pode parecer que não, mas você vai saber reconhecer qual o amigo disponível;
  • Peça ajuda e aceite ajuda, seja para buscar o filho na escola, pagar uma conta, fazer o supermercado, etc;
  • Caso você não consiga se adaptar as mudanças, procure a ajuda de um profissional psicólogo. Ele poderá te ajudar nesse momento.

O câncer é uma doença que afeta todos os aspectos da vida, sendo assim, conversar e avaliar a importância do trabalho neste momento é muito importante. A medicina está cada vez mais focada na qualidade de vida dos pacientes com câncer, podemos dizer que os pacientes já podem escolher entre continuar ou não trabalhando durante o tratamento do câncer.

Existem pacientes que por questões financeiras, precisam continuar trabalhando, outros, por sentirem-se bem e dispostos, também optam por continuar. Já outros, por indisponibilidade física, acabam decidindo pelo afastamento do trabalho temporário.

As decisões e atitudes referentes ao trabalho dependem muito de cada paciente e de cada caso específico. Independentemente de sua decisão, o importante é que tenha consciência de que algumas adaptações e mudanças na sua rotina serão necessárias.

Especificamente durante a quimioterapia, existirão dias em que o paciente estará disposto e outros nem tanto. Os efeitos colaterais do tratamento existem e nem sempre são evitáveis e por isso, o paciente pode se sentir indisposto precisando de um tempo para descansar. É aconselhável que você converse com seu chefe e com seus companheiros de trabalho mais próximos sobre o câncer. Assim, eles poderão lhe ajudar da melhor maneira possível nessa fase. Mas lembre-se, não existe uma atitude ideal e sim, atitudes que fazem com que você se sinta à vontade e confortável.

Vanessa Cristina Lourenção, Psicóloga – CRP 06/84913