Seja bem-vindo ao CORP | 17 3211 1919

background

Quimioterapia

Quimioterapia no CORP

O CORP oferece uma completa estrutura para a realização das seções de Quimioterapia, com Enfermaria, Farmácia de Manipulação própria e profissionais capacitados.

O CORP conta também com apartamentos individuais, oferecendo conforto e privacidade. Tudo isso com a qualidade e segurança atestados pela Certificação ONA.

Enfermaria
Enfermaria
Farmácia
Apartamento

Você sabe o que é Quimioterapia?

Receber a notícia que você terá que começar a quimioterapia é assustador, principalmente com a quantidade de informações erradas que são ditas sobre o tratamento. Por isso, é importante entender o que é e para que serve a Quimioterapia.


1. Quando a quimioterapia é administrada?

Não existe um regra para o uso da quimioterapia: pode ser aplicada isoladamente ou, se for o caso, pode ser aplicada antes ou depois do procedimento cirúrgico para retirada do tumor.


2. Como a quimioterapia é administrada?

As formas mais comuns são por via oral (pela boca) e endovenosa (pela veia). Menos freqüentemente, a administração é por meio de injeções intramusculares.


3. O tipo de medicamento utilizado é sempre o mesmo?

Não. Ele varia de acordo com o tipo do tumor, local da lesão e características do crescimento das células cancerosas.


4. O número de sessões pode variar?

Sim, dependendo do comportamento do tumor. Geralmente, a quimioterapia é indicada até o final da doença.


5. Quais são os efeitos colaterais da quimioterapia?

Os efeitos colaterais mais comuns são: fraqueza, diarréia, constipação intestinal, perda de peso, aumento de peso, feridas na boca, queda dos cabelos e outros pêlos do corpo, enjôo, vômitos e tonturas. Mas vale lembrar que nem todos os pacientes sofrem os efeitos colaterais.


6. Os efeitos colaterais podem ser evitados?

Sim. Seguem algumas dicas:
Fraqueza: evitar esforço excessivo e aumentar as horas de descanso.
Diarréia: ingerir, várias vezes ao dia, suco de cenoura sem açúcar ou suco de maçã com limão; alimentar-se de forma leve e com verduras apenas cozidas; procurar ingerir alguns alimentos que ajudam a "prender" o intestino, como maçã, banana, arroz, batata e mandioca.
Constipação intestinal: tomar suco de mamão com laranja e mel e consumir alimentos que ajudam a "soltar" o intestino, como laranja, ameixa, uva, figo, manga, mamão, pêra, aveia e coco verde.
Perda de peso: ingerir alimentos como gemadas, milk-shakes, massas e carnes. Esses alimentos devem ser consumidos especialmente nos intervalos entre uma aplicação e outra.
Aumento de peso: reduzir a ingestão de alimentos excessivamente calóricos, diminuir o sal e comer maior quantidade de frutas.
Feridas na boca: manter a boca sempre limpa e evitar usar escova de dente e prótese dentária. Enxaguar a boca com água filtrada e uma colher de chá de bicarbonato. Ingerir alimentos gelados (sorvetes e gelatinas) que ajudam a anestesiar a boca.
Queda de cabelos e outros pêlos do corpo: não há como evitar a queda dos pêlos do corpo, mas é bom saber que eles voltam a crescer após o tratamento ou até mesmo antes do seu término.
Enjôo e náuseas: atualmente, há novas drogas que minimizam os efeitos como náusea e vômitos, mas pode-se evitar tais efeitos colaterais ingerindo, várias vezes ao dia, suco de cenoura sem açúcar ou suco de maçã com limão; alimentar-se de forma leve e com verduras apenas cozidas; alimentar-se de forma leve; e evitar alimentos gordurosos.
Tonturas: descansar após as aplicações de quimioterapia.


7. Por que a quimioterapia às vezes é usada juntamente com a radioterapia?

A quimioterapia é potencializada com o uso da radiação. Os tumores que necessitam desse tratamento complementar são de cabeça e pescoço, colo do útero, esôfago e ânus.


8. Além do cabelo, os demais pêlos do corpo também caem?

Sim. Os pêlos das pernas e dos braços, além dos genitais também podem cair. Mas, após o término do trateamento, voltam a crescer.


9. Dói fazer quimioterapia?

Não. O causar dor, mas que é igual a retirar sangue, é a punção da veia.


10. A quimioterapia afeta a vida sexual dos pacientes?

Não. As relações sexuais podem ser mantidas normalmente. Apenas a gravidez deve ser evitada.


11. Existem cuidados especiais que devem ser tomados pelos pacientes em tratamento quimioterápico?

Sim. Evitar contato com pessoas com doenças infecto-contagiosas e permanecer em locais fechados com muitas pessoas.


12. O que fazer em caso de ressecamento ou descamação da pele?

Passar hidratante que não contenha álcool e não usar desodorante com álcool.


13. Em relação a alimentação, existem cuidados especiais durante o período do tratamento quimioterápico?

Sim. Os pacientes em tratamento quimioterápico devem dar preferência aos alimentos frios ou não muito quentes, pois eles têm menor odor e, assim, serão mais suportados; ingerir pequenas quantidades de comida, várias vezes ao dia; evitar alimentos gordurosos, com temperos fortes ou enlatados; evitar a ingestão de álcool e bebidas gaseificadas; aumentar a ingestão de líquidos; e evitar alimentos muito salgados.


14. O que pode ser feito para reduzir as náuseas durante o período do tratamento quimioterápico??

Fazer refeições em pequenas quantidades e várias vezes ao dia (pelo menos seis vezes); ingerir alimentos em temperatura ambiente; ingerir lentamente bebidas geladas; manter a higiene oral; evitar fumar; evitar bebidas alcoólicas, café, chá preto e chá mate; evitar sentir o cheiro de comida durante o seu preparo; evitar frituras, alimentos gordurosos e muito temperados e doces concentrados, como o de leite, goiabada, marmelada, cocada, calda de compota, creme e bolos recheados; evitar comer uma ou duas horas antes da quimioterapia; não deitar logo após as refeições.


15. O que fazer em caso de perda do paladar?

Enxaguar a boca antes das refeições; usar como tempero vinagre, suco de limão e orégano (acentuam o sabor); chupar balas amargas, azedas ou gotas de limão para estimular o reaparecimento do gosto.


16. O que fazer em caso de ressecamento da boca (xerostomia)?

Fazer a higiene oral com freqüência; aumentar a ingestão de líquidos durante o dia e beber pequenas quantidades de líquidos durante as refeições; acrescentar molhos e caldos nos alimentos.


17. O que fazer em caso de aftas (mucosites)?

Aumentar a ingestão de líquidos; evitar alimentos muito quentes ou muito frios; dar preferência a alimentos macios, fáceis de mastigar e engolir, como purês, sopas, cremes, pudins, gelatinas, mingaus, vitaminas e carnes moídas ou desfiadas; evitar alimentos ácidos, crus, duros e secos.
Fazer a higiene oral com freqüência (30 minutos após as refeições e a cada quatro horas, usando escova de dentes macia, creme dental não-abrasivo ou solução de bicarbonato com sódio); limpar a prótese dentária quatro vezes ao dia; umedecer os lábios com manteiga de cacau; ingerir dois litros de água por dia; fazer bochechos com solução de água bicarbonatada (diluir uma colher de chá de bicarbonato de sódio em duas xícaras de água).


18. O quer fazer em caso de diarréia?

Usar regularmente a medicação prescrita; fazer refeições pobres em fibras; aumentar a ingestão de líquidos por dia (água + refresco + chás); evitar alimentos muito frios ou muito quentes; evitar os alimentos considerados laxativos (verduras cruas ou cozidas, alimentos integrais e frutas como laranja, mamão, abacate e ameixa), dando preferência por maçã sem casca, goiaba, limão, melão e banana; evitar alimentos gordurosos como leite integral e seus derivados (creme de leite e queijos gordurosos); reduzir o consumo de açúcar refinado, açúcar mascavo e mel.


19. O que fazer em caso de prisão de ventre (obstipação)?

Beber muito líquido durante o dia (os líquidos quentes aumentam o trânsito intestinal); aumentar o consumo de frutas (mamão, laranja, abacate e ameixa), ingerindo sempre que possível o bagaço; aumentar o consumo de verduras cruas e cozidas; evitar o consumo de maisena, creme de arroz, fubá e farinha de trigo.


20. Quando o paciente deve procurar o médico?

O paciente deve retornar ao hospital, imediatamente, nos seguintes casos: febre por mais de duas horas, principalmente igual ou acima de 38ºC; manchas ou placas avermelhadas no corpo; sensação de dor ou ardência ao urinar; dor em qualquer parte do corpo inexistente antes do tratamento; sangramentos que demoram a estancar; falta de ar ou dificuldade de respirar; diarréia por mais de dois dias.


Tem alguma dúvida ou deseja agendar uma consulta? Fale conosco.