Seja bem-vindo ao CORP | 17 3211 1919

background

Tipos de Câncer

O que é o câncer?

Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões do corpo.

Dividindo-se rapidamente, estas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores (acúmulo de células cancerosas) ou neoplasias malignas. Por outro lado, um tumor benigno significa simplesmente uma massa localizada de células que se multiplicam vagarosamente e se assemelham ao seu tecido original, raramente constituindo um risco de vida.

Os diferentes tipos de câncer correspondem aos vários tipos de células do corpo. Por exemplo, existem diversos tipos de câncer de pele porque a pele é formada de mais de um tipo de célula. Se o câncer tem início em tecidos epiteliais como pele ou mucosas ele é denominado carcinoma. Se começa em tecidos conjuntivos como osso, músculo ou cartilagem é chamado de sarcoma.

Outras características que diferenciam os diversos tipos de câncer entre si são a velocidade de multiplicação das células e a capacidade de invadir tecidos e órgãos vizinhos ou distantes (metástases).

O que causa o câncer?

As causas de câncer são variadas, podendo ser externas ou internas ao organismo, estando ambas inter-relacionadas. As causas externas relacionam-se ao meio ambiente e aos hábitos ou costumes próprios de um ambiente social e cultural. As causas internas são, na maioria das vezes, geneticamente pré-determinadas, estão ligadas à capacidade do organismo de se defender das agressões externas. Esses fatores causais podem interagir de várias formas, aumentando a probabilidade de transformações malignas nas células normais.

De todos os casos, 80% a 90% dos cânceres estão associados a fatores ambientais. Alguns deles são bem conhecidos: o cigarro pode causar câncer de pulmão, a exposição excessiva ao sol pode causar câncer de pele, e alguns vírus podem causar leucemia. Outros estão em estudo, como alguns componentes dos alimentos que ingerimos, e muitos são ainda completamente desconhecidos.

O envelhecimento traz mudanças nas células que aumentam a sua suscetibilidade à transformação maligna. Isso, somado ao fato de as células das pessoas idosas terem sido expostas por mais tempo aos diferentes fatores de risco para câncer, explica em parte o porquê de o câncer ser mais freqüente nesses indivíduos.Os fatores de risco ambientais de câncer são denominados cancerígenos ou carcinógenos. Esses fatores atuam alterando a estrutura genética (DNA) das células.

O surgimento do câncer depende da intensidade e duração da exposição das células aos agentes causadores de câncer. Por exemplo, o risco de uma pessoa desenvolver câncer de pulmão é diretamente proporcional ao número de cigarros fumados por dia e ao número de anos que ela vem fumando.

Como surge o câncer?

As células que constituem os animais são formadas por três partes: a membrana celular, que é a parte mais externa; o citoplasma (o corpo da célula); e o núcleo, que contêm os cromossomas, que, por sua vez, são compostos de genes. Os genes são arquivos que guardam e fornecem instruções para a organização das estruturas, formas e atividades das células no organismo. Toda a informação genética encontra-se inscrita nos genes, numa "memória química" - o ácido desoxirribonucleico (DNA). É através do DNA que os cromossomas passam as informações para o funcionamento da célula.

Uma célula normal pode sofrer alterações no DNA dos genes. É o que chamamos mutação genética. As células cujo material genético foi alterado passam a receber instruções erradas para as suas atividades. As alterações podem ocorrer em genes especiais, denominados protooncogenes, que a princípio são inativos em células normais. Quando ativados, os protooncogenes transformam-se em oncogenes, responsáveis pela malignização (cancerização) das células normais. Essas células diferentes são denominadas cancerosas.


Tipos mais comuns

  • CÂNCER COLORRETAL

    O câncer colorretal abrange tumores que acometem um segmento do intestino grosso (o cólon) e o reto. É tratável e, na maioria dos casos, curável, quando detectado precocemente, e quando ainda não atingiu outros órgãos. Grand e parte desses tumores se inicia a partir de pólipos, lesões benignas que podem crescer na parede interna do intestino grosso. Uma maneira de prevenir o aparecimento dos tumores é a detecção e a remoção dos pólipos antes de eles se tornarem malignos.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER COLORRETAL?

    Qualquer pessoa com um dos sintomas abaixo deve procurar um médico – principalmente se houver sangramento pelo ânus – para realizar um exame clínico. Entre esses exames, pode ser necessária a realização do toque retal e do exame de colonoscopia. Os principais sintomas são:

    • Mudança do hábito intestinal, isto é, constipação ou diarreia sem associação com o alimento ingerido.
    • Anemia, fraqueza, cólica abdominal, emagrecimento.
    • Sangramento pelo reto.
    • Sensação de evacuação incompleta.
  • CÂNCER DE BEXIGA

    Câncer de Bexiga é um tumor que se origina nas células que recobrem a bexiga pelo lado de dentro, ou seja, aquele que está em contato direto com a urina. É um tumor relativamente raro e acomete mais os homens que as mulheres. Em geral, substancias tóxicas que passam a ser eliminadas na urina, são fatores importantes para o desenvolvimento do câncer e o tabagismo está dentre os principais culpados.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DE BEXIGA?

    • Sangue vivo ou coloração avermelhada na urina.
    • Dor em baixo ventre ou desconforto ao urinar.
    • Vontade de urinar várias vezes ao dia e sensação de urina presa


    Porém, estes sintomas não são indícios definitivos de câncer de bexiga, outras doenças podem os causar. Contudo, qualquer pessoa com tais sintomas deve procurar um médico.

  • CÂNCER DE ESÔFAGO

    O câncer no esôfago é uma doença no qual células malignas começam a desenvolver-se no revestimento interno do músculo e, dependendo de sua evolução, podem atingir suas outras camadas. Existem duas formas comuns de câncer de esôfago: o Carcinoma Espinocular e o Adenocarcinoma.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DE ESÔFAGO?

    Apesar de sua fase inicial não apresentar sinais característicos, o progresso da doença já indica demonstra alguns dos sintomas. Esses sintomas podem ser causados por câncer de esôfago ou por outras doenças, mas independente disso, deve-se procurar um médico caso você sentir algum dos sintomas abaixo:

    • Emagrecimento.
    • Dor torácica.
    • Sensação de obstrução na passagem de alimento.
    • Rouquidão e tosse.
    • Vômitos.
    • Perda de apetite.
    • Dor para engolir.
    • Dificuldade para engolir (Disfagia).
  • CÂNCER DE MAMA

    Como todos os outros tipos de câncer. As nossas células possuem informações chamadas genes que mostram como devem ser suas tarefas. Quando ocorrem erros nesses genes, as células perdem sua função normal e passam a desenvolver atividades anormais, como, por exemplo, um crescimento desorganizado, formando o que chamamos de tumor. Isto também pode acontecer nas células das mamas e é o que chamamos de câncer de mama maligno.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DE MAMA?

    Apesar de sua fase inicial não apresentar sinais característicos, o progresso da doença já indica demonstra alguns dos sintomas. Esses sintomas podem ser causados por câncer de esôfago ou por outras doenças, mas independente disso, deve-se procurar um médico caso você sentir algum dos sintomas abaixo:

    Geralmente o câncer de mama não apresenta sintomas no início. A partir do momento que começa a ser palpável, pode estar associado a um caroço na mama. Também pode ser representado por áreas de abaulamentos ou retrações de pele. Manchas ou alterações na pele da mama. Ainda pode estar ligado com saída de líquido do bico da mama, geralmente no caso do câncer estes líquidos são sanguinolentos ou semelhantes à cor da água de geladeira ao descongelarmos o congelador.

    Ao contrário dos que muito pensam, a dor mamária é um sintoma muito comum das mulheres, mas raramente esta associada ao câncer de mama. A dor das mamas geralmente possui causas ligadas a alterações hormonais ou emocionais.

  • CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO

    O QUE É O CÂNCER DE BOCA?

    Normalmente o câncer de boca se apresenta como uma ferida que não cicatriza que pode ser dolorosa ou não. Pode ocorrer nos lábios, no revestimento interno da boca (mucosa bucal), nas gengivas, na língua, na parte da boca que fica debaixo da língua (assoalho da boca), o céu da boca (palato duro) e a área atrás dos dentes do siso – conhecido como o trígono retromolar.

    O QUE É O CÂNCER DE GARGANTA?

    A garganta é um termo popular que engloba as regiões da orofaringe, hipofaringe e laringe. O câncer orofaríngeo é o que se desenvolve na parte da garganta localizada atrás da boca (conhecida como orofaringe). Essa região inclui a base da língua (a parte de trás da língua), o palato mole, as amídalas, os pilares, as paredes laterais e posteriores da orofaringe. A hipofaringe é a região da faringe que se localiza inferiormente à orofaringe e fica atrás da laringe (caixa da voz ou Pomo de Adão), que é um órgão que contem as pregas vocais responsáveis pela produção da voz que se fecha quando comemos e se abre quando respiramos. A orofaringe é um órgão onde passa o ar e os alimentos. O câncer de garganta, portanto, pode ser notado nas regiões citadas, como uma ferida que não cicatriza.

    QUAIS SÃO OS TUMORES RELACIONADOS Á REGIÃO DO PESCOÇO?

    Os tumores malignos do pescoço podem ser primitivos (quando tem a origem no próprio pescoço) ou secundários (metastáticos, ou seja, que surgiram em outros órgãos e se disseminou para o pescoço). Qualquer tecido presente no pescoço pode originar um tumor, principalmente na faringe, laringe e tireoide.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DE BOCA E GARGANTA?

    Ao identificar a existência de algum dos sintomas abaixo e sua permanência por mais de duas semanas, é indicada a realização de uma consulta com um médico. Nesse caso o médico deverá pedir outros exames, para confirmar ou não o diagnóstico.

    • Ferida na boca sem cicatrização (sintoma mais comum.
    • Dor na boca que não passa (também muito comum, mas em fases mais tardias)
    • Nódulo persistente ou espessamento na bochecha
    • Área avermelhada ou esbranquiçada nas gengivas, língua, amídala ou revestimento da boca
    • Irritação, dor na garganta ou sensação de que alguma coisa está presa ou entalada na garganta
    • Dificuldade ou dor para mastigar ou engolir
    • Dificuldade ou dor para mover a mandíbula ou a língua
    • Inchaço da mandíbula que faz com que a dentadura ou prótese perca o encaixe ou incomode
    • Dentes que ficam frouxos ou moles na gengiva ou dor em torno dos dentes ou mandíbula
    • Mudanças persistentes na voz ou respiração ruidosa
    • Caroços no pescoço
    • Perda de peso
    • Mau hálito persistente.
  • CÂNCER DO COLO DO ÚTERO

    O Câncer do colo do útero, também chamado de câncer cervical, demora muito para se desenvolver. As alterações das células que podem desencadear o câncer são descobertas facilmente no exame preventivo (conhecido como Papanicolau) por isso é importante a sua realização periódica a cada três anos após dois exames anuais consecutivos negativos. A principal alteração que pode levar a esse tipo de câncer é a infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV), com alguns subtipos de alto risco e relacionados a tumores malignos.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DE COLO DO ÚTERO?

    O principal sintoma relacionado ao câncer de útero é o sangramento semelhante a menstruação após a menopausa, mas também pode ocorrer simultaneamente ao começo da menopausa. Portanto, se houver sangramento em algum período em que as menstruações pararem definitivamente e/ou começar a ocorrer fora do período de menstruação, a mulher deve procurar o seu ginecologista imediatamente. O sangramento pode começar de forma aquosa e depois tornar-se mais espesso.

    Além do sangramento, alguns outros sintomas podem ser considerados sintomas do câncer de útero ou alguma outra condição menos grave:

    • Dificuldade ou dor na urina
    • Dores durante a relação sexual
    • Dor na área pélvica.
  • CÂNCER DA TIREOIDE

    Nódulos na tireoide são bastante comuns e, felizmente, a maioria (entre 90% e 95%) é benigna. Diferentes tipos de células da tireoide dão origem a diferentes tipos de câncer e determinam a gravidade da doença e o tipo de tratamento. Eles estão entre os cânceres menos letais, podem ser diagnosticados precocemente e a taxa de sobrevida 5 anos após o diagnóstico chega a 97%.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DA TIREOIDE?

    • Nódulo no pescoço, que às vezes cresce depressa;
    • Dor na parte da frente do pescoço, que às vezes irradia para os ouvidos;
    • Rouquidão ou mudança no timbre de voz que não desaparece com o tempo;
    • Dificuldade para engolir;
    • Dificuldade para respirar (com a sensação de que se está respirando por um canudinho);
    • Tosse que não para e não se deve a gripe.
  • CÂNCER DE ESTÔMAGO

    O Câncer de Estômago (ou Câncer Gástrico) é o crescimento de células anormais no órgão desse sistema digestivo e pode ocorrer em qualquer local de sua extensão. Grande parte desse tipo de tumor ocorre na camada mucosa (a camada de revestimento interna), surgindo na forma de irregulares pequenas lesões com ulcerações (rompimento do tecido mucoso) - características de cânceres ou tumores malignos.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DO ESTOMAGO?

    Estes sintomas podem caracterizar o câncer gástrico, mas outras condições ou doenças também podem causar os mesmos sintomas.

    • Dor epigástrica. (região central do abdômen – “boca do estômago”)
    • Sensação de “estômago cheio” após as refeições e perda do apetite durante as refeições
    • Emagrecimento.
    • Vômitos.
    • Vômitos com sangue.
    • Azia intensa
    • Diarréia
    • Constipação
    • Fadiga e Fraqueza
    • Fezes com sangue ou muito escurecidas (tipo borra de café)
    • Dificuldade para se alimentar.
  • CÂNCER DE PÂNCREAS

    O pâncreas é uma glândula do aparelho digestivo, localizada na parte superior do abdome e atrás do estômago. É responsável pela produção de enzimas, que atuam na digestão dos alimentos, e pela insulina - hormônio responsável pela diminuição do nível de glicose (açúcar) no sangue. É dividido em três partes: a cabeça (lado direito); o corpo (seção central) e a cauda (lado esquerdo). A maior parte dos casos de câncer de pâncreas localiza-se na região da cabeça do órgão. O risco de desenvolver o câncer de pâncreas aumenta após os 50 anos de idade, principalmente na faixa entre 65 e 80 anos, havendo uma maior incidência no sexo masculino. A maior parte dos casos da doença é diagnosticada em fase avançada, e, portanto, é tratada para fins paliativos.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DE PÂNCREAS?

    O câncer de pâncreas não apresenta sinais específicos, o que dificulta o diagnóstico precoce. Os sintomas dependem da região onde está localizado o tumor, e os mais perceptíveis são:

    • Perda de apetite e de peso;
    • Fraqueza;
    • Diarreia;
    • Tontura.
  • CÂNCER DE PRÓSTATA

    Alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. A grande maioria, porém, cresce de forma tão lenta (leva cerca de 15 anos para atingir 1 cm³ ) que não chega a dar sinais durante a vida e nem a ameaçar a saúde do homem.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DE PRÓSTATA?

    É importante lembrar que o câncer de próstata é assintomático em suas fases iniciais, ou seja, a pessoa não sente nenhum sintoma. Só iniciará a sentir dor ou dificuldade de urinar quando a doença já estiver avançada.

  • CÂNCER DE PULMÃO

    É o mais comum de todos os tumores malignos, apresentando aumento de 2% ao ano na incidência mundial. Em 80% dos casos diagnosticados, o câncer de pulmão está associado ao consumo de derivados de tabaco. Altamente letal, a sobrevida média cumulativa total em cinco anos varia entre 13% e 21% em países desenvolvidos e entre 7% e 10% nos países em desenvolvimento. No fim do século XX, o câncer de pulmão se tornou uma das principais causas de morte evitáveis em todo o mundo. Evidências na literatura mostram que pessoas que têm câncer de pulmão apresentam risco aumentado para o aparecimento de outros cânceres de pulmão e que irmãos, irmãs e filhos de pessoas que tiveram câncer de pulmão apresentam risco levemente aumentado para o desenvolvimento desse câncer. Entretanto, é difícil estabelecer o quanto desse maior risco decorre de fatores hereditários e o quanto é por conta do hábito de fumar.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DE PULMÃO?

    Os sintomas relacionados ao câncer de pulmão são diferentes de acordo com a localização do tumor no pulmão. Entre eles, podemos mencionar:

    • Tosse, geralmente seca, com persistência por mais de três semanas, ou nos fumantes com tosse crônica quando ocorre mudança da mesma, tornando-se mais intensa ou em horários diferentes dos habituais.
    • Dispneia (falta de ar) podendo estar relacionada aos esforços ou mesmo as atividades habituais como tomar banho e em alguns casos até mesmo no repouso. Geralmente surge de forma leve ocorrendo piora com o passar do tempo.
    • Dor torácica continua, podendo estar relacionada com os movimentos respiratórios ou com a posição.
    • Hemoptise, ou seja, presença de sangue no escarro, juntamente com a tosse, sintoma também bastante associado a tuberculose.
    • Pneumonias de repetição ou “mal curadas”.
    • Inchaço no pescoço ou na face.
    • Perda de peso importante.
    • Rouquidão por mais de 1 semana.
  • CÂNCER DE PELE

    CÂNCER DE PELE DO TIPO MELANOMA

    O melanoma cutâneo é um tipo de câncer de pele que tem origem nos melanócitos (células produtoras de melanina, substância que determina a cor da pele) e tem predominância em adultos brancos. O melanoma representa apenas 4,6% das neoplasias malignas da pele, sendo o tipo mais grave devido à sua alta possibilidade de metástase. O prognóstico desse tipo de câncer pode ser considerado bom, se detectado nos estádios iniciais. Nos últimos anos, houve uma grande melhora na sobrevida dos pacientes com melanoma, principalmente devido à detecção precoce do tumor.

    CÂNCER DE PELE NÃO MELANOMA

    É o câncer mais frequente no Brasil, e corresponde a cerca de 26% de todos os tumores malignos registrados no país. Apresenta altos percentuais de cura, se for detectado precocemente. Entre os tumores de pele, o tipo não melanoma é o de maior incidência e menor mortalidade.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DE PELE?

    Uma pinta sem suspeita de malignidade é geralmente marrom ou preta, de coloração uniforme, chata ou levemente elevada em relação ao restante da pele. Pode ser redonda ou oval e costumam ser menores que a borracha da extremidade de um lápis. Elas podem estar na pele já no nascimento ou aparecer depois e são “estáveis”, mantêm tamanho, forma e cor por muitos anos – elas podem clarear nas pessoas idosas. Em caso de suspeita de melanoma, seu médico irá perguntar quando a mudança em sua pele surgiu, se ela aumentou de tamanho ou mudou de aparência, se alguém mais em sua família teve câncer de pele e sobre a sua exposição aos fatores de risco.

  • CÂNCER DE RIM

    Como os rins encontram-se numa região pouco aparente do abdômen (chamada de retroperitôneo), seus sintomas demoram a surgir na fase inicial e o desenvolvimento da doença é lento. Grande parte dos tumores renais (de 40% a 60%) são descobertos incidentalmente através de exames solicitados para analisar outros problemas - como dor nas costas e na região abdominal. Apenas 10% dos pacientes apresentam os sintomas comuns ao câncer de rim quando se tem um desenvolvimento tumoral aparente: dor nas costas, sangramento na urina e palpação do tumor no abdômen.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DE RIM?

    • Sangue na urina (hematúria)
    • Dor Abdominal
    • Dor Lombar
    • Hipertensão arterial
    • Alterações do fígado
    • Elevação dos níveis cálcio sanguíneo
    • Aumento do volume / tamanho das mamas
    • Alterações hormonais
  • CÂNCER DE TESTÍCULO

    O câncer de testículo é a neoplasia maligna mais comum em homens com menos de 45 anos de idade. Apesar de acometer pessoas geralmente jovens, há uma grande chance de cura na maior parte dos casos. A criptorquidia (quando um deles ou ambos os testículos não descem para a bolsa escrotal) é o principal fator de risco. Todos os homens que têm esse problema devem procurar um urologista para tratamento adequado.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DE TESTÍCULO?

    O sintoma encontrado é um nódulo (“caroço”) endurecido e geralmente sem dor, além do aumento progressivo do testículo. Esse sintoma também pode ocorrer em outras doenças, como em inflamações. De qualquer modo é necessário procurar um médico para melhor avaliação.

  • CÂNCER DE FÍGADO

    É um tumor maligno que se origina a partir de células que compõem o fígado. Uma vez que o fígado é composto por vários tipos diferentes de células, vários tipos de tumores podem crescer no órgão. Hepatocarcinoma é a forma mais comum de câncer do fígado em adultos. Devem-se diferenciar os tumores do fígado como primários (aqueles que realmente se originam no fígado) e aqueles secundários ou metastáticos, que são a ampla maioria dos tumores de fígado.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DE FÍGADO?

    Pacientes muitas vezes não apresentem sintomas até que o câncer hepático esteja em seu estágio mais avançado, por isso raramente é encontrado cedo. Como o câncer cresce, alguns doentes podem sofrer sintomas como dor no abdômen, ombro e dorso, inchaço, perda de peso, perda de apetite, fadiga, náuseas, vômitos, febre e icterícia. Outras doenças hepáticas e problemas de saúde também podem causar esses sintomas, mas ninguém apresentando sintomas como estes deve deixar de procurar um médico.

Tem alguma dúvida ou deseja agendar uma consulta? Fale conosco.