Em decorrência do tratamento do câncer, algumas vezes, é necessário o planejamento cirúrgico com finalidade curativa ou paliativa.

O tratamento cirúrgico é considerado curativo quando indicado nos casos iniciais da maioria dos tumores sólidos. É um tratamento radical, que compreende a remoção do tumor primário com margem de segurança e, se indicada, a retirada dos linfonodos das cadeias de drenagem linfática do órgão-sede do tumor primário.

A margem de segurança, na cirurgia oncológica, varia de acordo com a localização e o tipo histológico do tumor. Ao contrário do tumor benigno, cuja margem de segurança é o seu limite macroscópico, o câncer, pelo seu caráter de invasão microscópica, exige ressecção mais ampla.

O tratamento cirúrgico paliativo, por sua vez, tem a finalidade de reduzir a população de células tumorais ou de controlar sintomas que põem em risco a vida do paciente ou comprometem a qualidade da sua sobrevivência.

No entanto, deve-se ter a consciência que o tratamento da cicatriz é tão importante quanto o tratamento da parte do corpo afetada. Algumas cicatrizes podem se transformar em fibroses e aderências. São características frequentemente presentes em pós-operatórios de diversas cirurgias. Elas são “normais” durante o período de reparo, fazem parte da cicatrização, porém, não devem ser consideradas parte do resultado final da cirurgia. São alterações funcionais sendo, portanto, cabíveis de tratamento fisioterápico.

Aparecem devido ao processo de cicatrização e levam frequentemente à formação de contraturas que poderão limitar a função e impedir movimentos mecânicos dos membros.  Para o tratamento efetivo, é preciso respeitar as características do tecido cicatricial.

A terapia manual atuará modificando a estrutura do colágeno cicatricial, ganhando movimentos do tecido fibroso.

Os benefícios das terapias manuais para o tratamento e prevenção de dores e disfunções são muitos. São diversas técnicas que focam, na maioria das vezes, na eliminação de pontos de tensão e aderências.

Com a evolução do processo de reparo, a cicatriz se encurtará como resultado da tração do tecido cicatricial tendo melhora da amplitude de movimento e a sua função.

A atuação de um fisioterapeuta orientará quais as melhores técnicas para a evolução da cicatriz na aplicação da terapia manual.